Galeria das Vencedoras

NEGÓCIOS

Contemplamos no setor Negócios, 5 mulheres que atuam em áreas diferentes, mas todas com espírito empreendedor e que nos presenteiam ao compartilhar suas experiências profissionais e aprendizados conosco.

 

 

1 – Joseli Cintra (1º edição)

Jô da Açoriana como é conhecida por todos, Proprietária da agência de viagens Açoriana Turismo cumpre atualmente o segundo mandato á frente do FLORIANÓPOLIS E REGIÃO CONVETION & VISITORS BUREAU, entidade privada sem fins lucrativos. Focada no desenvolvimento do turismo planejado e organizado, entre seus feitos trouxe para Florianópolis o mais importante encontro mundial do trade turismo, o WTTC (World Travel and Tourism Council) em 2009 no Costão do Santinho. Com isso nossa cidade traz no seu portfólio o maior fórum de discussão do segmento.

 

 

2 – Vanessa Guimarães Tobias (2º edição)

Jovem Empresária, Professora Universitária e Coach, certificada em Coaching aos 24 anos. Já formada em Administração, tornou-se Life e Executiva Coach Internacional em 2007. Mestre em Administração pela ESAG/UDESC. Possui vários certificados nos Estados Unidos e entrevistas, publicações e artigos em vários jornais e revistas nacionais. Tem empresa constituída com Matriz em Florianópolis com atuação virtual em 7 estados brasileiros e nos EUA, em Phoenix-Arizona. Nos diz que “A vida é um laboratório de experiências e, o desconforto, parte inerente da evolução. A única coisa irreversível na vida é o tempo, que perdemos querendo mudar o mundo, antes de mudar e melhorar continuamente quem somos.”
3 – Lorena Sotopietra Nolasco (3º edição)

Lorena Sotopietra Nolasco dedica-se à educação há 30 anos com o mesmo amor e respeito que nutre por sua família. No COC Córrego Grande, importante complexo educacional que nasceu há 23 anos como Paraíso Infantil, Lorena exerce como Diretora de Ensino legítima liderança sobre mais de 800 alunos por ano, promovendo inclusão social e a formação de cidadãos. Pesquisadora quebrou diversas barreiras na sua trajetória referente à figura feminina e portadores de deficiência rompendo verdadeiros tabus. Como voluntária na Rede Pública, reverte seu know-how em prol dos estudantes e independente da condição social, física ou intelectual todos os seus alunos recebem tratamento inclusivo.
4 - Marlise Alves Teixeira (4º edição)

Marlise Alves Teixeira é manezinha da Ilha. Nascida em Florianópolis, começou a trabalhar cedo, aos 13 anos de idade. Aos 21, já estava formada em Contabilidade pela UFSC. Foi na Faculdade que conheceu o marido e foi com ele que criou a empresa M & M Assessoria Contábil. Os obstáculos do início a fizeram pensar em desistir, mas hoje, dezoito anos depois, Marlise colhe os frutos da aposta feita no final dos anos 90. Entrou no voluntariado com ações sócio-ambientais e trouxe para dentro do escritório mudanças positivas inspiradas pelo fazer o bem. Com formação também em coaching e psicodrama, até hoje comanda com o marido a empresa, que recentemente passou a chamar-se M & M Contabilidade, Consultoria e Coaching.
5 - Betina Giehl Zanetti Ramos (5º edição)

Graduada em Farmácia com especialização em Biossegurança, Mestrado em Farmácia, Doutora em Química e Doutora em Polímeros na França. Criou, com seu marido em 2008, uma plataforma tecnológica que deu origem a Nanovetores. A Empresa é destaque pela quantidade de Prêmios que acumula. Uma cientista que teve coragem em empreender, e que conseguiu gerar uma empresa multinacional conhecida mundialmente na área de Nanotecnologia.

 

 


----------------------------------------------------------


TERCEIRO SETOR

Cinco mulheres do mundo com alma Catarina. Esta é a característica que une estas cinco finalistas do terceiro setor. Todas ao seu modo ultrapassam fronteiras na luta pela dignidade humana.

 

 

1 – Thaise Guzzati (1º edição)

A Engenheira Thaise Guzzati criou a Acolhida na Colônia, sendo eleita pela revista inglesa World Business, do Insead, como uma das 35 mulheres com menos de 35 anos com algo especial para oferecer ao planeta.

 

 

 

 

 

 

 

2 – Bebhinn Ramsav (2º edição)

Dando prosseguimento ao trabalho de seu amigo e esposo Alastair Ramsay falecido em 2007,em abril de 2008, Bébhinn Ramsay e Dra. Marisa Fantin, pediatra na rede pública em Florianópolis há mais de 30 anos, decidem juntas dar início à Saúde Criança Florianópolis que tem como missão  dar suporte a famílias em situação de vulnerabilidade social no Sul do Brasil para que alcancem saúde para as suas crianças, qualidade de vida e para que reconheçam e assumam sua cidadania. Utilizando o conhecimento e aplicação da metodologia Plana de Ação Familiar – PAF e muita boa vontade, uma legião de colaboradores, voluntários, padrinhos, apoiadores, proporcionam mais do que assistência médica. Proporcionam uma oportunidade de transformação de vida para essas famílias.  O Plano de Ação Familiar - PAF é a metodologia social desenvolvida pela SAÚDE CRIANÇA que desenvolve apoio individualizado, com um olhar multidimensional que engloba a família toda. Com dois anos e meio de existência local, a entidade já transformou a vida de 53 famílias, cerca de 210 pessoas e 115 crianças e adolescentes. Citando a antropóloga Margaret Mead, Bébhinn Ramsay diz que sua lição aprendida é: “Nunca duvide que um pequeno grupo de cidadãos preocupados e comprometidos possa mudar o mundo”.
3 – Elizenia Prado Becker (3º edição)

Administradora com especialização em marketing, Elizena Prado Becker, ou simplesmente a Zena, vem impondo um novo profissionalismo ao voluntariado, com processos eficientes e eficazes de gestão. Há 30 anos, vem implantando o profissionalismo no voluntariado em Santa Catarina, seja através de singelas ações beneficentes ou no comando de instituições de peso, como a Apae de Florianópolis e a Associação FloripAmanhã. A ponto de os resultados advindos de suas gestões a conduzirem a postos ainda mais expressivos, como a Direção de Gestão da Federação das Apaes/SC e a presidência do Comdes, o Conselho Metropolitano de Desenvolvimento da Grande Florianópolis, com importantes iniciativas em prol da mobilidade urbana.
4 – Márcia Rila (4º edição)

Márcia Rila, é a mãe do Lar Recanto do Carinho. E, desta forma, ela se considera também mãe de inúmeras crianças que passaram pelo local desde a fundação, em 1992. A luta contra a AIDS, o preconceito para com os portadores do HIV e a dificuldade em conseguir doações e verbas para cuidar de crianças de comunidades emergentes, filhas de pais portadores da doença fizeram parte do dia a dia de Márcia. Mas ela não desistiu. Foi preciso muito empenho para que o local ganhasse a forma, o tamanho e o reconhecimento que tem hoje. A casa também se adaptou, mantendo em seus quartos adolescentes que, quando chegaram ao local, era desacreditados pela medicina e pela sociedade como um todo. Os trabalhos realizados de forma voluntária pelo grupo coordenado por ela tornaram-se referência nacional e até o Ministério da Saúde apoio projetos iniciados pelo GAPA – Grupo de Apoio à Prevenção da AIDS. A evolução das pesquisas e dos tratamentos, assim como o conhecimento maior das pessoas a cerca do HIV, juntamente com a união e doação de inúmeros voluntários, levou também ao crescimento da família do Lar Recanto do Carinho, e hoje Márcia reconhece as conquistas desses mais de 20 anos à frente da entidade quando encontra com antigos moradores do Lar que hoje possuem vida própria, com família, formação e emprego.
5 – Lilian Vaz Martinho (5º edição)

Terapeuta ocupacional e focou sua vida na solidariedade. Trabalhando no CEPON assumiu a coordenação do GAMA – Grupo de Apoio às mulheres mastectomizadas, hoje um Instituto. Lilian promoveu o empoderamento das mulheres do grupo. Elas aprenderam a lutar por suas vidas e pelas vidas das pessoas com câncer. O GAMA mudou a vida de Lilian e Lilian mudou a vida do GAMA.

 

 


----------------------------------------------------------


PODER PÚBLICO

O acaso fez com que estas quatro finalistas se reunissem neste encontro de vencedoras. As quatro tiveram seu início profissional na mesma área da saúde. Ligadas pelo espírito humanitário cada uma traçou um caminho diferente, ao mesmo tempo intrínseco e marcante e nos presenteiam ao Compartilhar experiências e aprendizados de suas trajetória na vida pública.

 

 

1 - Silvana Rosa (1º edição)

Professora pós-doutorada em Arquitetura, Criou e implantou o laboratório LABDESIGN. Hoje busca ajudar a melhorar resultados na atuação empreendedora de alnos, artesãos, empresários, aposentados, mulheres e todos que desejam atingir seus sonhos. Fazendo assim a diferença.

 

 

 

 

 

 

2 - Ângela Albino (2º edição)

Filha de uma costureira de um pedreiro, Ângela é uma destas pessoas que fazem a diferença porque acreditam que suas convicções e ações definem o seu destino. Assim a técnica de enfermagem cursou o curso de Direito e na busca de uma sociedade mais justa e fraterna ingressou na carreira política. Foi a sétima mulher a ocupar a bancada do legislativo municipal.  Durante quatro anos abriu espaços para as conquistas das mulheres. Conquistas como a Coordenadoria Municipal da Mulher, a implantação do Centro de Referência de Atendimento ás Mulheres em Situação de Violência são resultados de sua atuação constante. Atualmente é líder da bancada da Assembléia Legislativa de SC. Na busca de maior espaço político para as mulheres a deputada preside a Secretaria Temática de Mulheres da União dos Países do MERCOSUL. Sempre que se perguntar à Ângela Albino se a luta é a melhor alternativa ela dirá: “depende da causa e com quais armas lutaremos”.
3 - Neide Schulte (3º edição)

O case Programa de Extensão Ecomoda, no curso de Moda da UDESC, foi criado em 2005. Sua origem foi com o convite de Marly Winckler, presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira, para participar do 36° Congresso Mundial de Vegetarianismo com desfiles "ecológicos", em 2004. Com o foco nas mulheres e jovens, os trabalhos desenvolvidos tiveram influência em termos de superação de discriminação a mulher ao possibilitar a capacitação e valorização do trabalho artesanal de mulheres de comunidades com risco social e também das rendeiras e outras artesãs de Florianópolis. O Ecomoda participa de eventos no exterior: na Colômbia, na Argentina e na Itália, quase tudo pago com recursos próprios. “Mas sempre acreditei que o investimento era válido. Tive muitos desafios com os colegas da área da moda quando iniciei com o Ecomoda, devido os princípios que pareciam ser anti-moda e propostas que envolviam as questões ambiental e social, e por se diferenciar do sistema tradicional da moda, mas tudo isso contribuiu para seguir um caminho pioneiro na moda, hoje amplamente reconhecido”. Nesses sete anos o Ecomoda obteve reconhecimento internacional, sendo citado juntamente em eventos de renome com grandes marcas, como a Osklen, e também em trabalhos importantes no Brasil nessa área. Em 2011, no Paraty Ecofashion com desfile de roupas de algodão orgânico e renda de bilro, também foi reconhecido como um bom trabalho de moda pelo Instituto Zuzu Angel. De eventos internacionais aos trabalhos com as mulheres da comunidade: rendeiras, artesãs e jovens aprendizes, é desenvolvido um trabalho democrático que ajuda na disseminação de um desenvolvimento mais sustentável.
4 - Adriana Martinez Montanheiro (4º edição)

Adriana Martinez Montanheiro é coordenadora do Programa de Extensão MODARTE: Moda, Arte e Artesanato, do Curso de Bacharelado em Moda da UDESC. Desde 2011 desenvolve as ações do projeto com atividades abertas e gratuitas a toda comunidade interessada, entre acadêmicos, professores, artesão e pessoas como um todo que, mesmo sem formação na área, têm interesse nos cursos e oficinas oferecidas, gerando parceria entre os saberes acadêmicos e os saberes populares. Dentro do programa Modarte, Adriana coordena três ações: o primeiro é o Acervo da Ilustrateca, que organiza o acervo digital de ilustrações de moda e divulga para a comunidade, oferece cursos de ilustração e desenho técnico de moda e realiza exposições, expandindo desta forma a cultura e os conhecimentos artísticos e de moda para a sociedade. Em segundo lugar vêm os cursos, que oferecem conhecimentos teórico-práticos sobre criação em moda, figurinos cênicos, acessórios, técnicas artesanais e artísticas, bem como cursos de design. O terceiro pilar do Programa são as oficinas voltadas à comunidade em geral com ênfase na criatividade e design inovador na mistura entre moda, técnicas artísticas e técnicas artesanais, promovendo desfiles e exposições e possibilitando a interação entre diversos artistas, estilistas, designer e artesãos.

 

 


----------------------------------------------------------


Cultura e Esporte
 

 

 

1 - Maria Helena Kraeski (1º edição)

Iniciou na ginastica rítmica ainda criança. Professora da UDESC desde 1995, é idealizadora do Núcleo de Estudos em Ginástica, que leva a ginástica rítmica ao alcance de mais de 300 meninas da comunidade. Como técnica, Maria Helena recebeu diversos títulos e honrarias, incluindo de MELHOR TÉCNICA ESPORTIVA DE SANTA CATARINA.

 

 


----------------------------------------------------------


Educação
 

 

 

1 - Lelia Regina Kremer Gamba (1º edição)

Pós-graduada em Educação e Desenvolvimento Humano, apaixonada pela educação desde os 15 anos está sempre em busca de conhecimento e inovação para um ensino cada vez melhor.Sua missão:facilitar o aprendizado e torná-lo significativo e prazeroso. O amor pelo saber e o espírito empreendedor levaram-na a criar o Colégio Criativo.
Compartilhe:  
Imprimir
Galerias de fotos
Veja nossas galerias de fotos.
Curta nossa Fanpage