Inscritas

Conheça os cases das Mulheres Fazem a Diferença em Florianópolis
3ª Edição do Prêmio

 

Negócios

 

Adriana M.Clerici Krauss

Referência em Jornalismo em Santa Catarina, seu case é o próprio programa Bom Dia Santa Catarina, o maior jornal estadual da RBS TV SC que entra na casa de milhares de moradores todos os dias, o qual coordena atualmente. Graduada em Jornalismo e Letras, vinda de família humilde, que sempre conciliou trabalho e estudos para conquistar espaço num universo anteriormente tão masculino. Adriana é líder e pioneira na categoria como Mulher numa função que até as décadas de 80, 90, a maioria dos funcionários de uma redação eram homens. Trabalhando lado a lado com homens, devido a sua humildade, tirou muitos aprendizados desde o mais simples na redação ao escrever um texto, até questões sobre ética e respeito ao público. Ao lado desses profissionais aprendeu, segundo ela própria, que o nosso principal papel como jornalistas, é a nossa função social de informar as pessoas sempre buscando a verdade. Graças ao envolvimento e a paixão pela profissão tem-se comprometido cada vez mais com nosso público superando adversidades, como acordar às 3:30 da madrugada para desenvolver seu trabalho com ética e lealdade. Adaptou o Programa Bom dia Santa Catarina a atualidade, envolvendo o público, permitindo a interatividade no quadro Pergunte ao Doutor acessível ao público de todo o estado e criou espaços para educadores, estudantes, voluntários de entidades sociais que atendem pessoas carentes e idosos, sempre com o intuito de valorizar quem faz a diferença. Colocar um jornal de uma hora no ar, de segunda a sexta-feira, não é uma tarefa simples e ela só dá certo porque é feita em equipe. Adriana é uma profissional que reconhece a importância do trabalho em equipe e reconhece o trabalho de todos que de uma forma ou de outra a fazem ser uma mulher que faz a diferença.

 

Amanda Reitenbach

Amanda Felipe Reitenbach, engenheira. Doutoranda do curso de Engenharia Química pela UFSC, desenvolve atualmente em sua pesquisa de doutorado estudo na linha de engenharia metabólica de leveduras. Teve como objeto de seu mestrado o desenvolvimento de uma cerveja probiótica a qual traz inúmeros benefícios à saúde. Reconhecida no meio cervejeiro é jurada, candidata e vencedora de diversos prêmios relacionados com processos de produção, e a avaliação de cervejas. Palestrante e ministrante de cursos divulgando a cultura cervejeira.

 

 

 

 

 

 

 

Celiane Gonçalves

Celiane atua como autônoma e realiza treinamentos, cursos, palestras, aulas e sessões de coaching em diversos Estados do Brasil. Através de atividades profissionais e por conta da experiência na sua empresa no passado, estabeleceu importantes parcerias e networking com empresas da área médica e de alimentos. Ela diz: "O futuro é hoje e devemos caminhar a passos largos, por isso invisto em melhorias para atuação forte em redes sociais", Em constante busca de diversificação inovação e modernização investe sempre na tecnologia para seu aprimoramento profissional, trabalhando hoje como autônoma, preparando outros profissionais para o sucesso de seus negócios.

 

 

 

 

 

Daniela Fraga Pires

Daniela – uma guerreira de plantão. Daniela Fraga Pires, nascida em Florianópolis, graduada em Enfermagem, sua paixão sempre foi trabalhar com a terceira idade. Hoje diversifica seu trabalho entre TRT 12 Região, duas casa geriátricas da empresa "Arte de Cuidar ' a qual administra , que são o seu grande sonho e a empresa Lacca Mobili de móveis em laca fundada em 2012.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eunice Schlieck

Advogada, membro da comissão de Direito Empresarial da OAB e do Rotary clube de Jurerê. Com especialização em Direito e Gestão Ambiental no CESUSC. Professora no Direito da Unisul. Assim que chegou a Florianópolis há 12 anos logo se inscreveu na defensoria dativa e atendia seus clientes na sala da OAB do Fórum, até nos bancos da Praça XV. Além de atuação em ONGS e na defensoria dativa atuou em defesa do meio ambiente.

 

 

 

 

 

 

 

 

Gabriela Faraco

Começou brincando com bijuterias aos 14 anos. Amante de moda, fazia para as pessoas amigas e logo começou a criar assessórios e vendê-los. Hoje, detentora da marca GABRIELA FARACO, com catálogo de suas peças produzido em PARIS, ela afirma: "Sempre acreditei muito no meu trabalho e tenho certeza que ainda tenho um longo caminho pela frente. Para quem tem o seu próprio negócio: o céu é o limite".

 

 

 

 

 

 

 


 

Janay Cristina Goulart

De um sonho de uma menina de 14 anos ,o DEBUT, fez com que Janay começasse a trabalhar cedo. Como a família não poderia assumir o compromisso de investir no seu sonho, deu o primeiro passo rumo ao "trabalho" que tinha como função cuidar de uma pessoa idosa. De babá em famílias tradicionais ela se diz "ingressar no universo das patroas" e perceber a deficiência das prestações de serviços. Visionária, desenvolveu sua empresa de prestação de serviços e em 2007 nasce a empresa AÇÃO Conservação e Limpeza que atende a eventos, hoje com mais de 50 pessoas envolvidas.

 

 

 

 

 

 

Juliana Pippi

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela UFSC, sempre gostou de tudo que fosse relacionado à arte. O escritório de Juliana Pippi Arquitetura e Design já existe desde 2001 e tem uma equipe de 7 profissionais. Premiado mais de 16 vezes por instituições de grande prestígio, pelo destaque e desempenho no mercado. O mais recente projeto é a Biblioteca do Casarão. Nome do ambiente que assina na edição da Mostra Casa Nova 2012, é um projeto que vai além do conceito de decoração. È Juliana que diz: "Um orgulho deixar essa Biblioteca de presente para os alunos da Escola Silveira de Souza e para Florianópolis".

 

 

 

 

 

 

Lorena Sotopietra Nolasco

Lorena Sotopietra Nolasco dedica-se à educação há 30 anos com o mesmo amor e respeito que nutre por sua família. No COC Córrego Grande, importante complexo educacional que nasceu há 23 anos como Paraíso Infantil, Lorena exerce como Diretora de Ensino legítima liderança sobre mais de 800 alunos por ano, promovendo inclusão social e a formação de cidadãos. Pesquisadora quebrou diversas barreiras na sua trajetória referente à figura feminina e portadores de deficiência rompendo verdadeiros tabus. Como voluntária na Rede Pública, reverte seu know-how em prol dos estudantes e independente da condição social, física ou intelectual todos os seus alunos recebem tratamento inclusivo.

 

 

 

 

 

Mari Ferraz

Nascida em Curitiba, produtora de Eventos que se destaca pelos eventos ricos em detalhes, pela preocupação com seus contrastes. Além de todo o profissionalismo investe em eventos com fins beneficentes, onde os resultados são revertidos para entidades previamente escolhidas. Mari Ferraz é uma mulher que acredita no futuro e nos jovens brasileiros, quando todos tem certo receio em contratar pessoas inexperientes, ela aposta neles, no treinamento e dedicação. Treina toda sua equipe e contrata todos sempre com o primeiro emprego. Procura dar oportunidades aos fornecedores de eventos jovens, senta e conversa com cada um, dá dicas para ajuda-los a crescer como empresários e empreendedores. A cada ano realiza no mínimo 2 casamentos gratuitos, 4 eventos com fundo beneficente a alguma entidade pré escolhida.

 

 

 

 

Maria Camila Araujo Cintra Tarikian

Formada em turismo pela USP, sempre trabalhou em agências de viagens. Em 2002, veio morar em Florianópolis por iniciativa do marido, na época namorado. Rapidamente e consegui uma oportunidade de trabalho temporário na Açoriana Turismo. Seu primeiro passo empreendedor foi um restaurante dentro da Clínica St Patrick. Em meados de 2006, com duas amigas inaugurou sua própria agência de viagens, a América do Sol Turismo e Eventos (www.americadosol.com), que hoje são duas agências em Florianópolis. Esta vontade de crescer e de sempre querer melhorar é o que realmente a faz a uma mulher que faz a diferença.

 

 

 

 

 

 

Maria Carolina Jorge de Linhares

Vem de uma família de muitos homens e que sempre cultivou os valores essenciais para uma boa conduta e de muita união. Sua primeira aprendizagem foi de sobrevivência neste ambiente masculino conservando suas características femininas. Graduada em alfabetização infantil e psicologia. Sempre fez pequenos empreendimentos em vendas durante a faculdade. Sua formação como psicóloga a levou a apresentar projetos em empresas até ter sua própria empresa de consultoria e coaching e gestão de pessoas. Se dedica também ao associativismo onde já ocupou cargos de presidência em entidades empresariais importantes em Florianópolis. Carolina diz: "Eu vim para esta vida para fazer diferença, e o meio disto acontecer é ajudar as pessoas a se tornarem melhor".

 

 

 

 

Maria da Graça Paes

Maria da Graça dedica-se à área da educação desde 1972, ministrando aulas, coordenando escolas e alimentando o sonho de ter a sua própria instituição foi coordenadora do ensino infantil do Colégio Nossa Senhora de Fátima, no Estreito e no Colégio Aderbal Ramos da Silva, sendo, na época, considerado escola modelo do Continente. Encerrando suas atividades em 1994, se aposentou para realizar um sonho. Percorreu um longo caminho pesquisando, conhecendo métodos e desenvolvendo projetos. Encontrou muitos obstáculos no caminho, mas não se deixou abater. Em 1994 nascia o Colégio Despertar da Criança. Em princípio, atendendo alunos de 01 a 06 anos, a Escola desenvolveu um brilhante trabalho e, a pedido dos pais, ampliou seu espaço físico e quadro de colaboradores, implantando o ensino fundamental de 1º ao 5º ano.

 

 

 

 

Paula Borges Lins

Paula Borges é a idealizadora, realizadora e coordenadora artística da Maratona Cultural de Florianópolis. Considerado o maior evento multicultural de Santa Catarina, o evento reuniu mais de 800 artistas em três dias de evento. O projeto realiza palestras em parceria com o SEBRAE sobre Empreendedor Individual, para que os artistas tenham a oportunidade de formalização empresarial e profissional. O intuito de realizar este grande evento, sempre foi o de promover na cidade de Florianópolis uma comunicação entre a cultura, o entretenimento, e o turismo, difundindo a cultura realizada na ilha, transformando-a em uma cidade mais criativa, assim, a população passou a conhecer e a valorizar sua arte, os seus produtos culturais.

 

 

 

 

 

Roberta de Almeida Silva

Graduada em Administração com Habilitação em Comércio Exterior e MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Iniciou a trabalhar Em 01 de agosto de 2010 decidiu sair da empresa da família e começar a sua própria história fazendo o que eu mais gosta e criou MISS FESTAS - Soluções em Eventos. A Miss Festas nasceu em um blog na internet antes de virar uma empresa real. Cerca de 160 eventos foram produzidos ao longo destes 24 meses de trabalho. A cada festa temos um novo aprendizado, mas sempre na certeza que o melhor evento ainda estar por vir.

 

 

 

 

 

 

 

Rose Macedo Coelho

Nascida em Bom Retiro, a empresária veio para Florianópolis com a família aos 14 anos. Com perfil visionário, trabalhava como vendedora e, paralelamente, criou sua própria confecção, demonstrando seu perfil inquieto. Atualmente com duas lojas na Rua Vidal Ramos, foi coordenadora do projeto de revitalização da rua, já transformada no primeiro shopping a céu aberto do centro da capital. O intenso trabalho iniciou no final de 2007, quando foi formada na ACIF a Câmara de Lojistas da Rua Vidal Ramos. De lá para cá, foram muitas as reuniões até o projeto se tornar realidade. Os resultados foram muito positivos, a média de fluxo diário pela região teve um aumento de 80%, trazendo um verdadeiro resgate do comércio do centro histórico da capital.

 

 

 

 

 

Stela Mansur

Em sua trajetória pela realização profissional, Stela Mansur sempre buscou fazer a diferença em suas atividades. Mas a percepção de que tinha, literalmente, nas próprias mãos a chave para o sucesso não veio do dia para a noite. De forma paralela ao seu trabalho, fazia as sobrancelhas de amigas e colegas. Aos poucos foi percebendo uma grande procura, mas ainda não conseguia ver toda potencialidade do serviço. Foi ao começar a trabalhar em salões de beleza que viu quão promissora poderia ser esta área. Aos poucos começou a investir em si mesma profissionalmente e criou a marca Stela Mansur. Hoje, tem um espaço inteiramente dedicado ao olhar feminino. Prezando pela qualidade de seu trabalho e confiabilidade de suas clientes, a boa repercussão não para de crescer. Com muita força de vontade, Stela conseguiu conquistar o que queria e não pretende parar, novos projetos para a marca já estão sendo planejados.

 

 

 

Suzana de Souza Coelho

Psicóloga e sócia-proprietária de três empreendimentos em Florianópolis, Instituto Evoluzione, Confraria Empresarial e Zasmark Comunicação, sua trajetória pessoal e profissional lhe destacam como um case de mulher que faz a diferença na sociedade florianopolitana. Com seu trabalho, Suzana busca auxiliar o crescimento de pessoas que também querem fazer a diferença. Ao longo de sua carreira, sempre aproveitou os obstáculos como uma oportunidade para avaliar o caminho traçado. Como empreendedora, seu objetivo é deixar uma contribuição para o mundo, torná-lo melhor, sempre buscando a essência das coisas e das pessoas. Com a Confraria Empresarial, consegue pôr em prática seu objetivo de vida: ampliar a corrente do bem. Em busca de relacionamentos sadios, auxilia a promover negócios com ética e hoje é uma profissional respeitada e bem posicionada no mercado de trabalho empresarial, composto majoritariamente por homens.

 

 

 

Terceiro Setor

Arlete das Graças Torri

Vinda de uma família tradicional, com uma educação rígida, seu maior sonho era ter um filho. Depois do nascimento do seu filho, que foi diagnosticado com deficiência intelectual, achou que seus sonhos tinham acabado. Logo se deu conta que precisava viver, ter coragem e reagir. Escolheu o caminho mais precioso: Viver seu filho. Eram 24 horas de dedicação dia após dia. Assim, diante destes fatos, a presidência da APAE FLORIANÓPOLIS acabou sendo algo natural, que se desencadeou de todo o relatado. Com isso, podemos dizer que a competência da administração de uma instituição como a APAE de Florianópolis, a maior de SC, referência de Educação Especial no país, a deixa muito orgulhosa. Nestes cinco anos de gestão, houve um aumento significativo na instituição, com investimentos e incentivo constante na capacitação dos funcionários. Realização do maior evento filantrópico do país a Feira da Esperança, e a participação do Grupo de Dança, na abertura das Olimpíadas de Londres/2012. Seus projetos “dão certo”, partindo sempre de uma administração transparente, ouvindo, trocando idéias e principalmente fazendo o movimento de busca e concretização. Seu maior desafio é mostrar que vale a pena investir em "pessoas deficientes". Tendo como seu maior motivador seu filho Alexsandro, hoje com 33 anos, Diz que “É possível acreditarmos no terceiro setor, desde que o mesmo seja administrado por pessoas que fazem a diferença. A APAE de Florianópolis está aí para comprovar a eficiência da mulher na administração”.

 

Carla Fey

Cirurgiã-dentista de Florianópolis, com 29 anos e formada há sete anos. Carla conheceu a OSCIP Turma do Bem em 2010, cujo principal projeto chama-se Dentista do Bem. Nele, dentistas de todo o país (hoje são 14.000) fornecem tratamento odontológico gratuito para jovens de 11 a 17 anos até completarem 18 anos. Entrou no projeto como coordenadora de Florianópolis, o que significa que além de fazer os atendimentos voluntariamente, é responsável pela localização dos jovens carentes e com situação bucal precária. Este ano também iniciou uma nova luta, que é garantir, através dos candidatos a prefeitura, que todas as pessoas tenham acesso a escova de dente, pasta e fio dental, distribuídos gratuitamente nos postos de saúde. Descobriu a grandeza da sua profissão e como ela pode melhorar o mundo através dela. O projeto Dentista do Bem dá a oportunidade a jovens que não tem acesso a Odontologia, de terem de volta a sua dignidade. Tendo como grande exemplo de vida o seu pai, que também tem uma grande preocupação com o próximo, fazendo por seus pacientes o que faria por um filho, diz que “Devolver a integridade para esses jovens e devolver-lhes o direito de se sentir parte de um grupo é muito gratificante”. Este ano o Projeto Dentista do Bem completa 10 anos com um número de 30.000 jovens atendidos no Brasil, número ainda pequeno em relação à real necessidade brasileira, mas cada sorriso recuperado, cada mudança de vida conquistada, lhe dá a certeza que este é o caminho certo.

 

Cléia Bernardete Fritzke Abdalla

Educadora, graduada em História e Direito pela UFSC, exerceu a advocacia por 15 anos, mas encontrou seu verdadeiro espaço de realização pessoal e profissional junto à escola e às suas dinâmicas. Sempre pautou seu exemplo pela retidão e ética, imbuída dos valores que tornam a relação professor/aluno absolutamente especial. Como boa professora, destinou seu tempo e dons a desenhar novos percursos conceituais que desafiassem crianças e jovens a conhecer e amar o mundo. Influenciou, assim, na formação integral das gerações que passaram pelo Colégio Catarinense, instituição onde atua há 40 anos. Lá foi Coordenadora Pedagógica Geral e, desde 2008, responde pela Direção Acadêmica, sendo responsável, entre outras tarefas, pela formação permanente de todos os docentes do Colégio. Tudo isso faz da Professora Cléia um ícone na comunidade que lidera, sendo reconhecida como uma das primeiras mulheres do Brasil a romper barreiras convencionais e dirigir um tradicional colégio de padres jesuítas.

 

 

Elizenia Prado Becker

Administradora com especialização em marketing, Elizena Prado Becker, ou simplesmente a Zena, vem impondo um novo profissionalismo ao voluntariado, com processos eficientes e eficazes de gestão. Há 30 anos, vem implantando o profissionalismo no voluntariado em Santa Catarina, seja através de singelas ações beneficentes ou no comando de instituições de peso, como a Apae de Florianópolis e a Associação FloripAmanhã. A ponto de os resultados advindos de suas gestões a conduzirem a postos ainda mais expressivos, como a Direção de Gestão da Federação das Apaes/SC e a presidência do Comdes, o Conselho Metropolitano de Desenvolvimento da Grande Florianópolis, com importantes iniciativas em prol da mobilidade urbana.

 

 

 

 

Karoline M Meyer

Conhecida como "Mulher peixe", Karol Meyer foi oito vezes recordista mundial de mergulho representando o país. Superou marcas masculinas nacionais em diversas modalidades do mergulho em apnéia. Em 2012, recebeu o título pelo RANK BRASIL como atleta que conquistou o maior número de títulos mundiais na história desportiva do Brasil. Além de todos os recordes, busca ensinar gratuitamente o que sabe e participar de programas em comunidades carentes. Através de suas conquistas, realiza palestras para jovens e empresas em todo o país, mostrando os benefícios do esporte no dia a dia. De sua infância, ao filme Imensidão Azul que chamou sua atenção para o esporte, aos treinamentos e recordes, a atleta traz o azul para as telas, mostrando imagens belíssimas de mergulhos em profundidade e suas conquistas que incluem a façanha de ultrapassar os 18 minutos e 32 segundos sem respirar, indo para o Guinness Book 2011, e atingir os 121 metros de profundidade.

 

 

 

Leoni Margarida Simm

Presidente da Associação Brasileira de Portadores de Câncer - AMUCC com sede em Santa Catarina, Leoni assumiu o compromisso de dar voz aos pacientes de câncer para que tenham acesso à informação, diagnóstico e tratamento de qualidade no tempo certo. Aposentada dos Correios desde 2005, teve diagnóstico de câncer de mama aos 44 anos, em fevereiro de 2001 e, neste momento, fugindo às regras do previsível, seu primeiro pensamento foi: "quem serão as pessoas que eu vou conhecer?" Decidida a viver e resistir à doença, passou a participar, a convite de sua oncologista, da construção de uma Associação que busca contribuir para o controle do câncer, reduzir o impacto da doença e apoderar o portador de câncer como indivíduo e ativista da causa. Hoje, a AMUCC está fazendo 12 anos.

 

 

 

 

Marcia Helena Blini Barbosa

Nascida em Araçatuba - SP, Márcia tem 58 anos há 35 reside em Santa Catarina, dos quais 28 em Florianópolis. Após 15 anos como Voluntária e Diretora Social, atualmente é presidente, pelo 4º ano consecutivo, da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Florianópolis, entidade que atende por mês, aproximadamente 450 mulheres da grande Florianópolis. Fundada no Brasil em 1946 e em Santa Catarina em 1961, a Rede Feminina de Combate ao Câncer é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo inicial de atender, por meio de um grupo de voluntárias, doentes dos hospitais da cidade. Desde então, vem prestando relevante trabalho e mostrando a todos a importância da prevenção do câncer, principalmente do colo do útero e de mama. Além de Presidente da RFCC, Márcia é empresária (proprietária da Cravo & Canela Lingerie) e presidente estadual da Fraternidade Feminina do Grande Oriente do Brasil - SC, que congrega quase 4.000 mulheres com o intuito de fazer filantropia. É também Coordenadora dos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística do Colégio Catarinense e pratica em mais dois grupos de voluntárias trabalhos sociais e beneficentes. Uma mulher guerreira, empreendedora e extremamente dedicada ao seu negócio.

 

Miriam Braga

Uma pessoa de bem com a vida, como ela mesma se define, e que adora estar rodeada de gente. Promoter e cantora voluntária em diversas ações sociais, Miriam Braga escolheu a música como paixão e trabalho. No ano de 2000, decidiu então que queria muito trabalhar como voluntária. Foi então que decidiu fazer do seu hobby, que é cantar, um instrumento para alegrar pessoas. "A música já me tirou de apertos grandes, já me deu alegrias, e me possibilita levar alegria ao próximo...", diz ela. Como cantora voluntária colabora com a Sérte, Avos, Apae, Asas, Ama, Cantinho dos Idosos, Federação catarinense de Educação especial, Noite Bella Donna, Fatia Solidária, Dias das crianças e Outubro Rosa. Criou em 2009 o grupo "Em Cima Do Salto", para agregar mulheres que mesmo sem experiência gostem de cantar. Após muitas apresentações beneficentes receberam o prêmio grupo revelação Top Of Mind em 2009. Já recebeu mais de 10 homenagens e prêmios pela dedicação ao voluntariado, em especial o troféu Orgulho Brasileiro, recebido em setembro de 2012 em Balneário Camboriú, das mãos do astrounauta brasileiro Marcos Pontes.

 

Telma Pereira Lenzi

Telma tem 53 anos de idade e é especialista em Psicologia Sistêmica de Casais, Famílias, Indivíduos, Grupo, e Sexualidade Humana. Psicoterapeuta, Professora e Palestrante. Formada na 1ª Turma de Psicologia da UFSC, em 1982, Telma logo percebeu seu desejo: ajudar o mundo e as pessoas a viverem melhor. A Psicologia, na época, era voltada para a elite e para os loucos, e ela jurou mudar tal realidade para que esta ciência estivesse ao alcance de todos, libertando as pessoas do sofrimento emocional. Diretora Geral do instituto Movimento, que especializa alunos em Psicologia Sistêmica, foi em 2002 que percebeu, de um lado, uma extensa lista de espera de pessoas carentes buscando atendimento psicológico e, do outro, uma de ex- alunos do seu curso de formação, que passavam de 100. Pediu a cada ex-aluno que atendesse gratuitamente estas pessoas, e a força desta ideia fez nascer a Ong ASSIM - Associação Instituto Movimento, da qual é a presidente. A ASSIM presta atendimento psicológico gratuito para pessoas de baixa renda da grande Florianópolis, e seu primeiro grupo terapêutico foi para mulheres vítimas de violência. Homenageada com a medalha Joana de Gusmão (filantropia) em 2011, Telma decidiu recentemente ampliar o alcance do seu trabalho através de palestras e da mídia televisiva.

 

 

Poder Público

 

Eva Maria Seitz

Natural de Alfredo Wagner, filha de agricultores. Em 1995, formou-se em Biblioteconomia. E logo, no ano de 2000, apresenta sua dissertação no mestrado do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da UFSC, na área da Ergonomia, intitulada "Biblioterapia: uma experiência com pacientes internados em Clinica Médica". Em 2005 é convidada para montar e coordenar a sala de Leitura do HU/UFSC, quando inicia também a prática da Biblioterapia Hospitalar em Santa Catarina. Atualmente é aluna do doutorado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da UFSC, na área da Ergonomia e coordenadora da Sala de Leitura do HU/UFSC. “Adoro meu trabalho e realizo tudo com muito amor. É muito gratificante saber estou contribuindo para amenizar a dor inerente ao processo de hospitalização. E mais, que contribuo para o acesso, incentivo, gosto e hábito da leitura onde n país em que o cidadão lê menos de quatro livros/ano. Minha recompensa esta em casa sorriso, olhar e palavras que expressam a satisfação dos pacientes e acompanhantes. Sou grata a Deus por todas as conquistas pessoais e profissionais e, a comunidade que acreditou no meu projeto doando materiais de leitura, pois, sem eles seria impossível realizar meu trabalho, fazer o diferencial na assistência do HU/UFSC, amenizar a dor dos pacientes e acompanhantes e participar do Prêmio Mulheres que Fazem a Diferença 2012”.  

 

Neide Schulte

O case Programa de Extensão Ecomoda, no curso de Moda da UDESC, foi criado em 2005. Sua origem foi com o convite de Marly Winckler, presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira, para participar do 36° Congresso Mundial de Vegetarianismo com desfiles "ecológicos", em 2004. Com o foco nas mulheres e jovens, os trabalhos desenvolvidos tiveram influência em termos de superação de discriminação a mulher ao possibilitar a capacitação e valorização do trabalho artesanal de mulheres de comunidades com risco social e também das rendeiras e outras artesãs de Florianópolis. O Ecomoda participa de eventos no exterior: na Colômbia, na Argentina e na Itália, quase tudo pago com recursos próprios. “Mas sempre acreditei que o investimento era válido. Tive muitos desafios com os colegas da área da moda quando iniciei com o Ecomoda, devido os princípios que pareciam ser anti-moda e propostas que envolviam as questões ambiental e social, e por se diferenciar do sistema tradicional da moda, mas tudo isso contribuiu para seguir um caminho pioneiro na moda, hoje amplamente reconhecido”. Nesses sete anos o Ecomoda obteve reconhecimento internacional, sendo citado juntamente em eventos de renome com grandes marcas, como a Osklen, e também em  trabalhos importantes no Brasil nessa área. Em 2011, no Paraty Ecofashion com desfile de roupas de algodão orgânico e renda de bilro, também foi reconhecido como um bom trabalho de moda pelo Instituto Zuzu Angel. De eventos internacionais aos trabalhos com as mulheres da comunidade: rendeiras, artesãs e jovens aprendizes, é desenvolvido um trabalho democrático que ajuda na disseminação de um desenvolvimento mais sustentável.

 

Salete Silva Sommariva

A Desembargadora Salete Silva Sommariva tem enfrentado os desafios inerentes a sua profissão, com o traço distintivo de uma mulher com coragem acredita na melhoria constante na prestação jurisdicional. Com a assunção ao cargo de Desembargadora, em 31 de março de 2003, tem atuado no Tribunal de Justiça, com sede em Florianópolis, tendo participação na Banca do Concurso da Magistratura, no período de 2009 e no concurso atual (2010-2012). Ainda, atuou como Ouvidora Judicial, no período de 2010 a 2011. Além do compromisso com a entrega efetiva da prestação jurisdicional inerente ao cargo que ocupa, vem buscando contribuir na administração do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Nesse sentido, assumiu a Vice-Corregedoria Geral da Justiça e a Coordenação da Coordenadoria de Execução Penal e da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher – Cepevid. A frente do Cepevid, a Desembargadora, está realizando um diagnóstico acerca da real situação do Estado na área da violência contra a mulher, que será apresentado no I Fórum Estadual de Magistrados da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher. No âmbito do Núcleo da Execução Penal é responsável pela realização do Mutirão Carcerário no Estado de Santa Catarina. O Mutirão tem por objetivo relatar o funcionamento das unidades criminais no que diz respeito à situação dos presos provisórios e definitivos, dando ênfase ao controle das penas e análise de possível satisfação dos requisitos para obtenção de benefícios previstos na Lei n. 7.210/84, buscando, primordialmente, prestigiar a garantia do devido processo legal. Quanto aos desafios enfrentados, existe uma discriminação nesta área de trabalho, que são extremamente sensíveis. Mas apesar das dificuldades, sua equipe trabalha para que seja dada a devida importância aos apenados e aos processos criminais e de execução penal, uma vez que o tratamento a eles dispensado terá direta influência na sociedade brasileira. O Mutirão, contribuir para que os presos, ao serem reinseridos na sociedade, consigam exercer sua cidadania sem reincidir nos delitos cometidos. Favorece, também, o correto cumprimento da pena, por meio da análise da concessão de benefícios e dos cálculos das penas realizados. Dessa forma, por trazer melhorias à qualidade de vida dos apenados, favorece a efetiva proteção à sociedade, Assim podemos esperar uma redução significativa da criminalidade. 

 

Vera Regina Fernandes

Nascida de uma família grande (nove irmãos) e com poucos recursos, percebeu, desde cedo que a única forma de assegurar seu futuro, seria através dos estudos. A escolha da profissão médica foi, inicialmente, um caso pensado, para garantir um retorno financeiro. Felizmente, foi uma escolha acertada e que a vez se apaixonar pela profissão, onde se entregou de corpo e alma. A escolha da Pediatria foi muito consciente, baseada numa vontade de trabalhar com crianças. A escolha da cardiologia pediátrica foi um desafio. Até hoje, no Hospital Infantil Joana de Gusmão, trabalha com imensa dificuldade, principalmente devido ao sistema gestor, falta de vagas nas enfermarias, no centro cirúrgico, nas unidades de terapia intensiva. Mas as crianças e familiares com cardiopatias congênitas merecem mais do que a Secretaria Estadual de Saúde está oferecendo. Merecem mais dignidade, mais consideração. ”Isso nos aflige enquanto profissionais responsáveis pelo diagnóstico, tratamento e acompanhamento destas crianças e familiares, não é fácil trabalhar sem os recursos ideais”. O envolvimento em entidades de classe - Associação Catarinense de Medicina, Conselho editorial dos Arquivos Catarinenses de Medicina na Sociedade Brasileira de Pediatria, como diretora do MERCOSUL e na Sociedade Catarinense de Pediatria (coordenadora do departamento científico de cardiologia pediátrica e integrante do conselho fiscal) é uma tentativa de atuar politicamente em fatores que possam melhorar a qualidade do ensino da pediatria, a remuneração dos pediatras e uma melhor assistência médico hospitalar às crianças.

 

Compartilhe:  
Imprimir
Galerias de fotos
Veja nossas galerias de fotos.
Curta nossa Fanpage